meu superpoder

Sempre me achei uma pessoa diferente das outras, assim como na história de todo mutante ou super-herói, cresci com um superpoder, mas sem saber ao certo como controla-lo.

Muitas vezes eu negava esse superpoder com medo de me expor, com medo de me abrir, de demonstrar tudo o que eu estava sentindo.

Esse medo me atormentava porque eu sabia que quando usava esse superpoder as pessoas se abriam para mim, falavam o que estavam sentindo abertamente e infelizmente eu pensava que isso era se tornar vulnerável.

Meu medo era de que outras pessoas também tivessem nascido com esse superpoder e usassem contra mim, me deixando vulnerável.

Agora entendo perfeitamente que utilizei as palavras incorretas para definir a mim mesmo e do que eu era capaz.

Confiança, entrega e amor. Essas três palavras eu não compreendia ao certo e julgava ser a tal vulnerabilidade.

Estou imensamente grato por me respeitar e saber do fundo do meu coração que sei respeitar o próximo.

Vou te ensinar como usar esse superpoder…

Quando estiver conversando com alguém, alinhe seu coração com o dela, de peitos abertos, não cruze os braços. Olhe nos olhos dessa pessoa e ouça o que ela está te dizendo.

Sim. Isto é um superpoder.

quanto vale uma verdade?

O sábio pensou, refletiu e questionou a si mesmo. Fez perguntas que feriram até mesmo seu ego ao encontrar as respostas.

O sábio se autoconheceu e viu que seu ego era um fardo muito grande e pesado para ser carregado, que dificultava a caminhada e muitas vezes o fazia tropeçar.

O sábio entendeu que se deixasse o ego pra trás, teria forças o suficiente para ajudar outras pessoas em suas caminhadas. Assim elas também iriam mais rápido, mais longe e unidas.

O sábio teve então a clareza de que se as pessoas com ele também deixassem seu ego para trás, poderiam fortalecer ainda mais os elos da corrente do bem que havia sido feita.

O sábio sendo acompanhado por pessoas tão distintas entendeu que as verdades das outras pessoas também eram distintas, que os desejos das outras pessoas também eram distintos, que os corações das outras pessoas batiam mais forte por pessoas distintas também.

O sábio então sorriu ao concluir que as respostas das outras pessoas são distintas, que cada ser na Terra tem a sua própria resposta.

O sábio agora faz perguntas, como quem prepara o solo para outra pessoa plantar.

E as suas verdade, como estão?

De zero a dez, qual a nota para as suas verdades?

De zero a dez, qual a nota para as verdades dos outros?

Espero do fundo do meu coração que você reflita sobre a unicidade de cada ser que habita este planeta. E que os aceite sem julgar.